Blog

Três dicas para escolher o melhor parceiro de trading desk

19 de março de 2018


Share

Abordagem focada em dados, plataforma agnóstica e transparência são características que esse parceiro deve ter para garantir que você faça as melhores compras de mídia

A inovação em mídias digitais é permanente. É preciso mergulhar em cada novidade para utilizá-la a seu favor e também para evitar desperdício de esforço e de recursos. No ecossistema da chamada mídia programática, uma dessas frentes é a atividade dos parceiros de trading desk, que funcionam como plataformas responsáveis pela compra e gerenciamento de espaços publicitários de forma automatizada e orientada por dados, contribuindo para que as marcas naveguem em um universo ainda desconhecido por muitas empresas.

Para escolher acertadamente o parceiro que vai ajudá-lo a superar esses desafios e aproveitar as melhores oportunidades disponíveis, é preciso checar se ele está focado em alguns tópicos essenciais. Confira abaixo três dicas valiosas para auxiliar os profissionais de marketing nesse processo:

1.Dados no centro de tudo
Você precisa avaliar o quanto seu fornecedor de trading desk está centrado em dados. Para obter a performance esperada, é necessário que ele faça recortes criativos dos dados, os interligue e faça projeções em escala. Isso envolve a observação de três pontos-chave:

– Precisão e relevância: A qualidade dos dados é fundamental. Para criar campanhas realmente efetivas, que atinjam o público-alvo, o profissional de marketing precisa ter certeza sobre a precisão, escala e relevância de seus dados.

– Link: Mais importante do que ter os dados é a forma como eles são vinculados e ativados para permitir a medição do alcance real, que não deve ser a porcentagem do público-alvo que pode ser alcançado, mas considerar aqueles que efetivamente são atingidos. Só assim será possível verificar se justificam o custo do investimento e se a campanha dará o retorno esperado. Quando adota esse comportamento, o parceiro de trading desk poderá oferecer vínculos mais precisos entre endereços de dispositivos, endereços de e-mail e localização geográfica para garantir uma variedade de oportunidades de alcançar o público-alvo.

– Vendas incrementadas: Se somos verdadeiramente centrados em dados e os dados são precisos, relevantes e podem ser vinculados, você pode confiar na capacidade de gerar vendas incrementais. Isso, por meio da demonstração de que segmentos específicos estão, de fato, respondendo ao anúncio.

2. Plataforma agnóstica
A agência de trading desk deve ser capaz de oferecer soluções personalizadas com base em grande variedade de fatores, múltiplos canais e acesso a inventário em vários mercados. O alinhamento com uma única plataforma pode ser negativo porque pode não ser a mais adequada para os objetivos globais de marketing ou metas da campanha. Deve-se verificar se a trading desk tem flexibilidade para adaptar seu trabalho de forma a atender às suas necessidades.

3.Transparência
Um ponto essencial para escolher uma agência de trading desk é sua transparência em relação aos preços de seu serviço e os custos embutidos, como gastos com mídia, tecnologia, dados e recursos humanos. A compra de mídia exige inteligência nos processos de análise e definição de audiência, o que fez com que esses profissionais se tornassem extremamente valiosos nesse mercado. Mas as taxas não devem cobrir mais do que despesas essenciais e um nível de recompensa justo ou competitivo. Não tenha receio de perguntar como as taxas são compostas.







Anterior